Insira o seu endereço de e-mail para subscrever a mailing list

Início / Quem somos

Fundador

Jerónimo Usera nasceu em Madrid a 15 de Setembro de 1810.

Origem nobre, vasta cultura e cristianismo sólido foi a herança familiar que recebeu e que fez dele uma personalidade rica, dinâmica, culta, audaz, plena do Amor de Deus e de supremo cuidado para com a pessoa. “Sinto que Deus me chama a fazer o bem na terra”, é a primeira definição que dá da sua vocação. Com esta convicção profunda entra na Ordem de Cister, em Orense, em 1824, tinha apenas catorze anos.

Ordenado sacerdote em 1834, é expulso do convento um ano depois, com todos os cistercienses seus Irmãos, por questões políticas que à data se viviam em Espanha. Desde então, assume viver a sua consagração religiosa na condição de monge exclaustrado.

Dedica-se à evangelização de zonas rurais, como pároco, e entre 1841 e 1844 lecciona Grego na Universidade de Madrid. Em 1844 ingressa na Sociedade Económico Matritense de Amigos do País. Por mandato real assume a educação de dois jovens crúmanes do Golfo da Guiné. Esta experiência será o primeiro passo da sua longa viagem missionária por terras da Guiné, de Porto Rico e de Cuba. Os destinatários por excelência da sua acção são as crianças e os jovens, a mulher, à data tão desvalorizada, os escravos e os camponeses. Disso dão testemunho as obras que funda: Casa de Caridade e Ofícios de Santo Ildefonso; Associação de Damas da Caridade; Sociedade Protectora de Crianças de Cuba; Academia de Tipógrafas e Encadernadoras e a Congregação das Religiosas do Amor de Deus. Sempre a par dum trabalho apostólico intenso e a exercer cargos eclesiásticos de grande responsabilidade.

Usera morre em Havana a 17 de Maio de 1891. A Congregação das Religiosas do Amor de Deus, prolonga a sua obra no tempo e sustenta o seu nome na história. Hoje, Usera, continua a cativar pessoas generosas que queiram servir a Deus gratuitamente. Pessoas que, como ele, acreditam que só "o Amor de Deus faz Sábios e Santos".

A 28 de Junho de 1999, a Igreja declara-o Venerável pela heroicidade das suas virtudes.