Insira o seu endereço de e-mail para subscrever a mailing list

Início / Entre nós / Fragmentos de santidade

Irmã Leonor de Jesus Gomes

A Irmã Leonor de Jesus era uma pessoa simples, alegre, carinhosa e sempre bem disposta.
Foi professora no 1.º Ciclo durante muitos anos, e dava também aulas de piano. Era muito amiga dos seus alunos. Preparava as festas com primor. Tinha sempre os alunos bem ensaiados.
Era muito sensível à música e à poesia. Declamava poemas com gosto, arte e profundo sentimento.
Era uma boa humorista. Uma das formas que encontrava para criar boa disposição na Comunidade consistia em imitar com precisão e em jeito de teatro a forma de ser, de andar, de falar ou de actuar de cada Irmã. Nos recreios comunitários, sempre que a Irmã Leonor se lembrava de imitar alguma Irmã, era uma festa.
Gostava muito de cantar e de tocar e, embora tivesse perdido a voz, há vários anos, continuou a tocar órgão, nas Eucaristia, até há pouco tempo.
Recordava com muito carinho a sua estadia nas casas por onde passou, especialmente em Cabo Verde. Contava muitas das suas peripécias. Mesmo Já com a saúde bastante debilitada ainda cantava canções de Cabo Verde.
No refeitório do Colégio de Cascais, onde acompanhava os alunos, tinha um especial jeito de os ajudar e estava atenta a cada um.
Gostava de ajudar as Irmãs que iniciavam a missão de leccionar. Emprestava todos os seus materiais e dava dicas sobre como deviam fazer.
Era agradável viver com a Irmã Leonor. Era inteligente, mas não era ambiciosa nem invejosa. Uma das formas que tinha de manifestar o seu desacordo com a ambição e a inveja, era brincar e fazer humor acerca dessas atitudes.
Afeiçoava-se muito às pessoas. Tinha muitos amigos e gostava de estar sempre acompanhada. Esta característica acentuou-se durante a doença e por isso manifestava grande alegria quando via a Comunidade reunida.
Quando já não podia leccionar, passava muitas horas na capela do colégio em oração e a acompanhar os alunos.
Sofreu muito durante os últimos dias de vida, mas manifestou muita paciência. Apagou-se pouco a pouco enquanto entoávamos salmos.
Como gostava de oferecer alegria a toda a gente, o mais certo é que o Céu se tenha alegrado com a sua chegada. Obrigada, Leonor. Temos saudades tuas.