História do Fundador

A 15 de setembro de 1810, nasceu em Madrid, o nosso amigo Mariano. Um dia depois, os seus pais, Dª Bernarda e D. Marcelo, batizam-no, seguindo assim as suas profundas raízes cristãs, ambos muito crentes e de fé profunda, orientada para valores como: a FRATERNIDADE, a GENEROSIDADE  e a HUMILDADE.

O conhecimento estava presente na infância do jovem Mariano. Os seus referentes foram os pais. O pai contribuiu com a sua ampla cultura e a mãe com a sua profunda fé cristã bem como com a proximidade e convívio pacífico entre todos.

Apenas com doze anos de idade, recebe uma fantástica notícia: o seu pai, Marcelo, tem como inquietação o conhecimento de grandes cidades de todo o mundo para poder ensinar melhor os seus alun@s, mostrando assim o seu grande COMPROMISSO pela educação. O que não imaginava o bom do Mariano é que seria o escolhido para acompanhá-lo e visitar as magníficas obras realizadas por grandes génios, mas não só sentiu a grandiosidade de tais maravilhas, como ainda descobriu a pobreza, a desigualdade e diferença entre classes.

Um sentimento surgiu no seu coração: a SOLIDARIEDADE; prometeu-se a si mesmo AJUDAR a todos os desfavorecidos; criaria escolas para os meninos e ensinaria que o saber não tem a ver nem com riquezas nem com classes sociais, porque o AMOR é a base da cultura e do convívio.

No regresso desta viagem tão especial, o pai de Mariano perguntou-lhe o que queria ser quando fosse grande e qual foi a sua surpresa quando, muito convencido, o seu filho lhe disse:

“Deus escolheu-me para fazer o bem na terra, pois eram muitas as profissões que podia seguir, mas nenhuma podia comparar-se à de seguir a Cristo; são muitas as luzes da riqueza que nos cegam, mas nenhuma é tão brilhante como a luz que cada um de nós traz no seu íntimo”.

Dª Bernarda, que sabia administrar com equidade CARINHO e RESPONSABILIDADE cada um dos seus filhos, aceitou a partida de Mariano.

Mariano recebeu formação em filosofia, teologia e humanidades. Ordenou-se sacerdote em Uclés (Cuenca); a partir daí, começou o seu trabalho de pároco na zona de Sanábria, o que lhe permitiu oferecer a sua vida não só a Deus, mas também aos outros, com GRATIDÃO.

A sua filosofia de vida unia a BONDADE, a HUMILDADE, a JUSTIÇA, o CONHECIMENTO e o EVANGELHO, espalhando-os pelo mundo em partes iguais.

desde menino até os seus  últimos dias, amou a Deus, a sua família, os seus amigos, mas especialmente, os mais necessitados: os pobres, os escravos, a crianças, as mulheres, os mendigos, os presos, que fizeram da sua vida uma arte de amar.

Porque o Padre Usera foi um grande construtor de uma sociedade mais humana, cujos pilares eram:

O conhecimento

Porque a educação é o melhor serviço que se pode prestar a um povo. É o motor de todo o movimento humano.

A bondade

Porque não é compreensível, uma educação desligada dos valores como a bondade, a verdade e o bem.

E o Evangelho

Porque a sociedade repousa sobre um fundamento mais sólido que as ciências, as artes e o comércio; a fé em Jesus Cristo, nosso irmão, que entregou gratuitamente a sua vida a todos por amor.

Enfim, o P. Usera é um crente, onde o AMOR a Deus e ao Evangelho foram a sua doutrina, como fonte inesgotável de sabedoria, ao mesmo tempo SIMPLES e HUMILDE, e um coração bondoso nascido para fazer o bem e amar o próximo.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Share on email